Dono de empresa produtora de queijos de Miami, é preso e condenado a 15 anos, por contaminação de produtos.

O dono da empresa produtora de queijos Oasis Brands Inc. com sede em Miami é o executivo mais recente a ser condenado por violações criminais relacionadas à contaminação alimentar por patógeno conectada à epidemia mortal.

contaminação de produtos-1O juiz norte-americano da comarca Robert N. Scola Jr. condenou Christian Rivas nesta segunda-feira a cumprir um total de 15 meses em prisão federal. Rivas negociou um acordo de confissão nas próximas semanas, admitindo que comercializou intencionalmente o queijo que ele sabia que estava contaminado com listeria monocytogenes depois de ter prometido às autoridades federais que interromperia a distribuição.

Rivas se une a outros executivos do setor alimentício condenados à prisão federal por crimes relacionados à epidemia. Esses casos incluem:

  • Austin “Jack” DeCoster e seu filho Peter DeCoster condenados no caso Quality Egg relacionado à epidemia de salmonela em 2010; e
  • Stewart Parnell e seu irmão Michael Parnell, juntamente com Mary Wilkerson, condenados no caso da Peanut Corporation of America relacionado à epidemia de E. coli.

O juiz dispôs que Rivas pode cumprir simultaneamente suas condenações de 15 meses por acusação de crime e 12 meses por contravenção. Cada uma delas leva um período de um ano de liberdade vigiada, que também serão cumpridas simultaneamente. Rivas, que foi libertado sob fiança, deve se entregar ao meio-dia do dia 20 de dez. para começar a cumprir sua pena.

Apesar de Rivas ter admitido conscientemente o envio de alimento contaminado depois de aceitar interromper a distribuição, o departamento de justiça sugeriu reduzir a condenação devido ao “reconhecimento do réu e sua aceitação positiva e oportuna de responsabilidade pessoal”.

Com recurso exclusivo sobre a possível restituição, o juiz Scola fixou uma audiência para 3 de fev. de 2017, para considerar a possibilidade. Ele poderia ter multado Rivas em $250.000 em cada uma das duas condenações, mas o juiz não impôs multa, de acordo com os documentos judiciais.

contaminação de produtos-2Em seu acordo de confissão, Rivas aceitou que havia mais de 10 vitimas, mas o termo vitima não foi definido.

Pelo menos cinco pessoas foram afetadas, incluindo uma que faleceu, na epidemia de listeria identificada nos queijos da marca Oasis, de acordo com os centros de controle e prevenção de doenças.

A conexão entre o queijo cremoso mexicano da marca Oasis e as pessoas doente foi descoberta graças ao programa de amostragem aleatória no Estado da Virginia. Funcionários coletaram uma amostra do queijo da marca Oasis em uma mercearia na Virginia em julho de 2014 e ela foi testada positiva para Listeria monocytogenes.

Uma nova investigação que incluía o CDC, o FDA e os funcionários de diversos estados encontrou a cepa da epidemia de Listeria em outros queijos da marca Oasis e em sua unidade de produção.

A Oasis Brand Inc. emitiu uma série de três recalls para vários queijos entre agosto e outubro de 2014. Um depois da descoberta na Virginia e mais dois depois de Rivas ter afirmado aos inspetores do FDA que ele interrompeu o envio do produto.

“Ao final da primeira inspeção em 22 de agosto de 2014, Rivas concordou com o que segue: (1) suspender a produção dos novos queijos; (2) contratar um consultor para informar a firma sobre a limpeza da unidade; (3) interromper a distribuição de produtos alimentícios acabados em seu estoque até que o laboratório (mantido pela Oasis por seu custo) possa confirmar que os queijos da Oasis e sua unidade deram negativo para listeria; e (4) reter todos os produtos em processamento que se encontravam em produção ou em acondicionamento e prestes a ser distribuídos até nova discussão com os funcionários do FDA”, de acordo com o boletim informativo de terça-feira do escritório do procurador público dos EUA para a comarca do sul da Flórida.

“De 7 de out. a 16 de dez. de 2014, o FDA conduziu uma inspeção de acompanhamento na unidade da Oasis e coletou amostras do produto de coalhada fresca ‘Lacteos Santa Martha Cuajada en Hoja Fresh Curd’, armazenado na unidade, que posteriormente testou positivo para listeria.

“O registro judicial indicou que passada a primeira inspeção e durante o período de 24 de set. de 2014 a 1 de out. de 2014, violando seu acordo com o FDA, Rivas terminou de acondicionar bandejas múltiplas de queijo retidas no processamento e procedeu ao envio e distribuição desses itens. …

“Rivas iniciou esses envios depois de ter descoberto em seu laboratório de testes em 24 de set. de 2014, que uma amostra do mesmo produto foi testada positiva para a presença de listeria.”

De acordo com o CDC, a epidemia indicada nos queijos da marca Oasis afetou pessoas nos Estados da Geórgia, de Nova Iorque, Tennessee e do Texas. Três das enfermidades se relacionavam à gravidez, sendo que um recém-nascido foi diagnosticado com infecção por Listeria.

“Todas as pessoas eram de etnia hispânica e afirmaram ter consumido queijo cremoso hispânico”, de acordo com o CDC. “Duas pessoas aptas para responder às perguntas sobre as variedades específicas dos queijos cremosos hispânicos afirmaram ter consumido quesito casero, porém nenhuma delas se recorda a marca”.

Fonte: http://www.foodsafetynews.com/2016/11/miami-cheese-company-owner-draws-15-month-prison-term/#.WD6infkrLIU

 

About
Químico com especiliazação em alimentos Foi executivo das áreas da qualidade na Nestlé, Vigor, Kerry, Fuchs, Bel Alimentos e Mr. Bey. Foi gestor comercial da Idexx Brasil para as áreas de lácteos e Food Safety. É sócio da Food Suporte, consultoria para as áreas de alimentos e soluções para as indústrias e marketing e vendas para produtos científicos.

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text.