Notificações RASFF Europa – A Situação do Brasil – Parte 1

Alertas Rápidos para patógenos em produtos exportados para a Europa – A importância de um controle eficiente.[1]

Com o intuito de informar rapidamente a todos os membros da União Europeia sobre os produtos alimentícios importados que chegam com algum tipo de contaminação na região, foi criado o portal RASFF – que é o sistema de alertas rápidos para alimentos, que visa dar publicidade aos resultados de análises de produtos alimentícios, que de alguma forma não cumprem com os requisitos de especificações, ou de segurança alimentar, de acordo com os regulamentos da União Europeia.

Nos últimos 2 anos, o Brasil recebeu inúmeras notificações sobre produtos enviados para a Europa, com relação aos critérios de Salmonella sp e a presença de Shiga toxina (STEC – E. coli produtora de Shiga toxina) nos produtos analisados. Muitas delas foram consideradas extremamente sérias, levando os produtos a serem rejeitados nas fronteiras gerando um prejuízo muito grande para as empresas.

Alertas Rapidos-1

Alertas Rápidos Para Salmonella sp:

Durante o período entre 10/06/2014 até 23/09/2016, foram recebidas 100 notificações para produtos vindos do Brasil apenas para Salmonella, de acordo com a Tabela abaixo:

Tabela 1– Ocorrência de alertas rápidos para Salmonella na Europa – fonte https://webgate.ec.europa.eu/rasff-window/portal/

Notificações para Salmonella positiva por país de entrada
País Produto Número de notificações
República Tcheca (via Eslováquia) Filé de Frango

1

Alemanha Carne bovina congelada

2

Carne de peru congelada

1

Dinamarca (via Alemanha) Carne de frango

1

Espanha Carne de Peru

6

Carne de Frango

2

França (via Holanda) Carne de Frango

1

Reino Unido Carne de Peru

3

Carne de Frango

2

Itália Carne de Peru

4

Holanda Carne de Peru

36

Carne Suina

15

Carne de Frango

25

Carne Bovina congelada

1

 

Analisando os dados acima temos a seguinte distribuição de alertas por pais de entrada na Tabela 2:

República Tcheca (via Eslováquia) Número de notificações
Holanda

77

Espanha

8

Reino Unido

5

Itália

4

Alemanha

3

Dinamarca (via Alemanha)

1

França (via Holanda)

1

República Tcheca (via Eslováquia)

1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ou seja o país com maior número de notificações é a Holanda, com 77% das notificações recebidas, seguidas por Espanha, Reino Unido, Itália e Alemanha.

Vamos agora avaliar os produtos com as maiores incidências de notificações na Tabela 3:

Produto Número de notificações
Carne de Peru

49

Carne de frango

31

Carne Suína

15

Carne bovina congelada

3

Filé de Frango

1

Carne de peru congelada

1

 

 

 

 

 

 

 

 

A cadeia de aves representa 82% das notificações, 50% perus e 32% frango, suínos 15% e bovinos 3%.


Alertas Rápidos Para Shiga toxina (STEC)

Para as E.coli produtoras de toxina de Shiga, durante o mesmo período de tempo, entre 01/01/2014 até 23/09/2016, foram recebidas 13 notificações, isso apenas na Europa (Tabela 2).

Tabela 4: Ocorrência de alertas rápidos para Shiga toxina (STEC) na Europa entre 10/06/2014 até 23/09/2016 Fonte: https://webgate.ec.europa.eu/rasff-window/portal/

13 Notificações RASFF/UE para E.coli produtora de toxina de Shiga
País Produto Número de notificações
Holanda Rosbife

1

Carne congelada desossada

4

Carne congelada

1

França Carne congelada desossada

1

Itália Carne congelada desossada

3

Alemanha Carne congelada desossada

1

Bélgica Carne congelada desossada

1

Espanha Carne congelada desossada

1

 

Na tabela 5 colocamos as notificações, agrupadas por países notificantes:

País Número de notificações
Holanda

6

Itália

3

França

1

Alemanha

1

Bélgica

1

Espanha

1

 

 

 

 

 

 

 

 

Novamente temos a Holanda como protagonista, com quase a metade das notificações, seguida por Itália, representando quase 70% das notificações.

Na análise dos produtos implicados nas notificações, temos o seguinte quadro na Tabela 6:

Produto Notificações por Produtos
Carne congelada desossada

11

Rosbife

1

Carne congelada

1

 

No caso das STEC’s temos a cadeia de bovinos, seus produtos “in natura”, com a carne congelada desossada com 84%, e até mesmo um produto processado, rosbife, como os responsáveis por 100% dos casos notificados.

 

 

 

 

 

 

 

 

A análise dos casos de ocorrência de E.coli produtoras de toxinas de Shiga é importante para termos uma ideia da incidência desse patógenos no Brasil, visto que tivemos o acordo de exportação de carne bovina in natura com os EUA aprovado recentemente e, esse é o principal patógeno controlado pelo USDA para receber os nossos produtos.

No próximo artigo passaremos a fazer uma avaliação dos resultados e uma análise de riscos e de gerenciamento de riscos com alternativas para a gestão destas ocorrências e a minimização dos problemas, com relação aos dois patógenos abordados.

[1] Taline Marcondes – Biomédica – e André Oliveira – Químico – IDEXX Brasil – Divisão Food Safety

About
Químico com especiliazação em alimentos Foi executivo das áreas da qualidade na Nestlé, Vigor, Kerry, Fuchs, Bel Alimentos e Mr. Bey. Foi gestor comercial da Idexx Brasil para as áreas de lácteos e Food Safety. É sócio da Food Suporte, consultoria para as áreas de alimentos e soluções para as indústrias e marketing e vendas para produtos científicos.

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text.