Segurança Alimentar – Regras Básicas

Estudos recentes realizados na União Europeia revelaram que 11% dos géneros alimentícios monitorizados pelas autoridades nacionais não estavam de acordo com a legislação alimentar. O mesmo estudo também mostrou que 21% de dois milhões de pontos de venda (lojas, hotéis, restaurantes, grossistas) não estavam em conformidade com as regras de higiene apropriadas.

Embora estas imagens sejam inquietantes, a maior fonte de contaminação dos alimentos contínua em casa. Os consumidores, muito conscientes dos assuntos que envolvem a segurança alimentar, anda não abordam a higiene alimentar, na cozinha, de forma suficiente. A tabela seguinte irá listar os erros mais frequentes e as precauções mais simples para manter as bactérias nocivas afastadas dos alimentos, uma vez que são a principal causa de intoxicações alimentares.

Dr. S. Notermans, do Instituto Holandês de Investigação sobre Nutrição e Alimentação, acredita que a segurança dos alimentos, em casa ou em qualquer outro lugar, consiste em algumas regras básicas. Ele diz que: “A ciência das regras está baseada na aprendizagem adquirida com os erros dados no passado”.

Parte do desafio de produzir alimentos seguros passa pela compreensão da produção e distribuição dos alimento, ao longo de toda a cadeia de fornecimento. A recolha de dados importantes ajuda as autoridades a analisar os pontos críticos e a informar os consumidores sobre a segurança alimentar em casa. A Holanda, por exemplo, é líder nesta área, tendo quatro abordagens diferentes.

Modelo Holandês

Um sistema de informação que publica um relatório anual sobre as possíveis doenças alimentares e os resultados de estudos laboratoriais. Más práticas de higiene e de confecção são as causas mais frequentes.

Os estudos de controlo e populacionais fornecem dados sobre a frequência real destas doenças alimentares, em particular pela Salmonella e Campylobacter, que são as bactérias mais comuns envolvidas nas intoxicações alimentares.

Estudos de caso-controlo informam as autoridades da origem dos agentes causadores de doença. Os dados sobre os pacientes infectados com Escherichia coli (E.coli) têm demonstrado que o gado é a principal fonte desta bactéria.

A literatura fornece informação acerca dos novos microrganismos emergentes, que causam intoxicação alimentar, e informam os desenvolvimentos da comunidade científica. As publicações de Segurança Alimentar podem influenciar as regulações sobre este tema.

O Dr. Notermans conclui que “fornecer os consumidores de informação científica é a melhor maneira de prevenir estes de contrair doenças provocadas pelos alimentos. Mas os consumidores depois devem actuar de acordo com estas. O governo, todos os profissionais da cadeia alimentar e especialmente os consumidores devem partilhar a responsabilidade para o fornecimento de alimentos seguros”.

Como parte de um programa para informar o consumidor, a Comissão Europeia – Direcção Geral XXIV das Políticas dos Consumidores e Protecção da Saúde do Consumidor – lançará uma pequena campanha de informação sobre segurança alimentar e saúde do consumidor, usando elementos de campanhas já existentes nos estados membro da UE, de modo a abordar este assunto de higiene alimentar.

Veja também o relatório da OMS de 1997 sobre “Prevenção e Controlo das infecções entero-hemorrágicas da Escherichia Coli (E.coli)”, em que a EUFIC forneceu um resumo.

Erros domésticos mais frequentes em segurança alimentar Medidas básicas de precaução
Refrigeração insuficiente Conservar a comida congelada no frio até ao seu consumo
Higiene geral deficiente Lavar as mãos com frequência
Contágio através de um indivíduo infectado Evitar que os familiares doentes toquem nos alimentos
Aquecimento insuficiente Seguir as instruções das embalagens e conselhos em relação ao tempo e temperatura
Utilização de utensílios contaminados Manter as superfícies limpas; lavar os utensílios após uso
Contaminação cruzada Guardar os alimentos separados
Preparação muito antecipada Consumir imediatamente após a preparação dos alimentos, ou reaquecer

 

(Extraído do documento informativo da EUFIC “From Farm to Fork” (Da exploração à mesa)).

Fonte: http://www.eufic.org/article/pt/artid/seguranca-alimentar-regras-basicas/

About
Químico com especiliazação em alimentos Foi executivo das áreas da qualidade na Nestlé, Vigor, Kerry, Fuchs, Bel Alimentos e Mr. Bey. Foi gestor comercial da Idexx Brasil para as áreas de lácteos e Food Safety. É sócio da Food Suporte, consultoria para as áreas de alimentos e soluções para as indústrias e marketing e vendas para produtos científicos.

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text.